Cachoeira do Sul/RS
Telefone: (51) 3724-4368 | (51) 3724-4378
WhatsApp: (51) 9-9745-8687
Comercial: comercial@portalanoticia.com.br
Redação: redacao@
portalanoticia.com.br
Administrativo: administrativo@
portalanoticia.com.br
/JORNALAN

© 2019 - Direitos reservados - Jornal A Notícia - Magaiver Dias

Deputada cobra mais atenção a UFSM/Cachoeira do Sul

20/08/2019

A deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL) emitiu nesta terça-feira, 20/8, uma nota cobrando uma maior atenção com o Campus da UFSM/Cachoeira do Sul. Segundo Melchionna, o Governo Federal está empreendendo uma cruzada contra a educação pública no Brasil.

 

Confira a nota na integra: 

 

"O governo Bolsonaro empreende uma verdadeira cruzada contra a educação pública no Brasil. Para realizar um controle ideológico do que é ensinado e atender as demandas do setor empresarial, querem vender a preços irrisórios as estruturas e a administração das instituições públicas de ensino. Neste sentido, não surpreende, mas causa indignação, que o campus da Universidade Federal de Santa Maria em Cachoeira do Sul esteja com obras atrasadas e aguardando a liberação de R$129 milhões para o término da primeira fase da construção de novos prédios.

 

Não é tolerável que uma universidade que apenas na região atende a mais de 800 alunos e que possui cerca de 90 professores não seja tratada como prioridade pelo governo federal. A UFSM, que se firmou como um importante pólo regional de educação, colabora muito com o desenvolvimento da região e este não é um fenômeno isolado. Países desenvolvidos viram no investimento em pesquisa e em universidades de alta qualidade o segredo para um robusto crescimento econômico. Esta deveria ser a prioridade do MEC, mas não é o que vemos. Foi por isso que nosso mandato apresentou uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para proibir cortes no orçamento da Educação.

 

O programa Future-se, por exemplo, que na verdade deveria se chamar de Fature-se, é apresentado por Bolsonaro como uma alternativa para a modernização das universidades, mas acaba se mostrando mais uma mentira propagada inconsequentemente. Se o programa for aplicado como prometido, elas perderão a independência administrativa e veremos uma desestruturação completa das instituições públicas em poucos anos.

 

O que propomos para o país é que se pense a Educação como um direito do povo que precisa ser continuamente melhorado e expandido. Ainda falta muito para que todos os jovens do Brasil tenham direito e acesso às universidades. Deveríamos estar discutindo a universalização do ingresso ao ensino superior, a melhoria nas condições de trabalho e aumento de salário de professores. Já estamos na hora de pensar melhores formas de manter os jovens dentro da universidade e evitar a evasão escolar e como fazer para que sejam empregados em posições dignas após a graduação e pós-graduação. Infelizmente, não é o que acontece. Vemos um governo que coloca educadores e estudantes como inimigos e que joga para eles a responsabilidade da tragédia que o Brasil vive.

 

Os estudantes vão às ruas e nosso mandato está acompanhando este processo, lutando para que as demandas dos estudantes de Cachoeira do Sul e de todo o Brasil sejam ouvida cartazes segurados por uma das milhares de estudantes nos protestos, nós queremos educação porque sem ela já basta o presidente da república".

 

 Foto: Divulgação

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

1/2
Please reload