Em menos de 20 dias oito cães são envenenados em Cachoeira do Sul

31/05/2019

É de partir o coração quando um animalzinho morre, mas agora imagine você a sensação de acordar pela manhã e encontrar o seu mascote morto por envenenamento. É um fato que vem acontecendo recentemente por Cachoeira do Sul. Nos últimos 20 dias, há relatos de pelo menos oito animais envenenados pela cidade, um no Bairro Noêmia, um na Medianeira, dois na Tibiriçá, dois na Tupinambá e outros dois no Bom Retiro.

 

Fabiane Silveira, moradora do Bairro Noêmia perdeu seus dois cães, animais dóceis, envenenados na madrugada do último dia 18. Segundo ela os animais eram bastante agitados, não circulavam pela rua e nem latiam a noite, “Perdi o Fred e o Maylon (nome dos cães), devido a covardia de alguém, meus cães ficavam soltos no pátio, não faziam mal a ninguém, eles eram brincalhões, todo mundo gostava deles, aí um monstro vem e dá veneno para eles, me partiu o coração, dói demais saber que vou voltar do trabalho e não vou encontrar mais eles quando chegar em casa”, destacou Fabiane.

 

O caso de Marcele Cardoso não é diferente, a moradora do Bairro Bom Retiro perdeu seu linguicinha envenenado no último dia 20, “O Bidu (nome do cão) tinha dois anos, e do nada começou a espumar pela boca, não deu nem tempo de levar ao veterinário, ele morreu logo em seguida, minha filha pequena pergunta todos os dias por ele, dói por dentro”, afirmou Marcele.

 

Como proceder em caso de envenenamento?

 

Antes de mais nada, procure o médico veterinário o mais rápido possível. É importante que você não tente oferecer nada ao cachorro, como algum alimento ou água. Algumas pessoas acreditam que o leite pode ajudar a reverter o quadro de envenenamento, mas não é verdade. Não tente também resolver o problema com receitas caseiras, pois nem sempre dá certo. Algumas substâncias podem até aumentar ainda mais o efeito do veneno em vez de inibi-lo.

Enquanto não estiver no hospital ou clínica veterinária, não há muito o que ser feito quando cachorro comeu veneno ou outro tipo de substância tóxica. Por isso, a agilidade no atendimento do peludo fará toda a diferença. Além disso, é sempre bom saber onde você pode levar o cachorro em caso de emergência e ter o contato de um médico veterinário na agenda do celular.

 

Na emergência, o seu cachorro receberá todo o suporte necessário. Pode ser preciso fazer uma lavagem do estômago com uso de carvão ativado (caso ele tenha ingerido a substância tóxica há pouco tempo), realizar a aplicação de soro (fluidoterapia), além do monitoramento de alguns parâmetros do cão por um tempo (frequência cardíaca, frequência respiratória, pressão). Além disso, o veterinário poderá também solicitar exames para avaliar melhor o cão.

 

 Foto: Divulgação

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

1/2
Please reload

CACHOEIRA DO SUL | RS | BRASIL
(51) 3724-4368 | (51) 3724-4378
(51) 9-9745-8687
redacao@
portalanoticia.com.br
comercial@portalanoticia.com.br
administrativo@portalanoticia.
com.br
/JORNALAN

© 2019 - Direitos reservados - Jornal A Notícia