Rua Saldanha Marinho, 1365, Bairro Centro - Cachoeira do Sul - RS
Telefone: (51) 3724-4368 | (51) 3724-4378
WhatsApp: (51) 99908-6864
Comercial: comercial.portalanoticia@gmail.com
Redação: redacao.portalanoticia@gmail.com
Administrativo: adm.portalanoticia@gmail.com
/JORNALAN

© 2019 - Direitos reservados - Jornal A Notícia - Magaiver Dias

Vacinação contra a gripe começa em 10 de abril

02/04/2019

Inicia no próximo dia 10 de abril a 21ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, se entendendo até 31 de maio. No dia 4 de maio, acontecerá a mobilização nacional.

A campanha iniciará com uma ação diferenciada. No período inicial, de 10 a 19 de abril, a vacina influenza deve prioritariamente ser disponibilizada para crianças e gestantes. Neste período, também serão disponibilizadas as demais vacinas do Calendário Nacional de Vacinas para atualização da Caderneta de Vacinação.

Outra novidade neste ano é que para as crianças, a faixa etária aumentou. Agora, a vacinação será para aquelas com idade entre seis meses e menores de seis anos (cinco anos, 11 meses e 29 dias). A meta é vacinar 90% dos grupos elegíveis para a vacinação.

 

O que é a Influenza?

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais e também podendo causar pandemias. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém‐contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz.

O período de incubação dos vírus influenza varia entre um e quatro dias. Os sinais e sintomas da doença são muito variáveis, podendo ocorrer desde a infecção assintomática, até formas graves.

 

Administração simultânea com outras vacinas ou medicamentos: A vacina influenza pode ser administrada na mesma ocasião de outras vacinas ou medicamentos.

Doadores de sangue: De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os candidatos elegíveis à doação que tiverem sido vacinados contra influenza devem serem considerados como inaptos temporariamente, pelo período de 48 horas.

 

Precauções: Em doenças agudas febris moderadas ou graves, recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença. As pessoas com alergia a ovo, que apresentem apenas urticária após a exposição, podem receber a vacina da influenza mediante adoção de medidas de segurança. Recomenda-se observar o indivíduo vacinado por pelo menos 30 minutos em ambiente com condições de atendimento de reações anafiláticas.

 

Contraindicações: A vacina é contraindicada para pessoas com reação anafilática prévia em doses anteriores bem como a qualquer componente da vacina ou alergia comprovada grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados.

 

Grupos prioritários para vacinação contra influenza: crianças na faixa etária de seis meses a menores de seis anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, idosos, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde, povos indígenas aldeados, professores das escolas públicas e privadas com identificação, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas (Cachoeira não tem instituições que abrigam este grupo), população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional.

 

População alvo estimada para Cachoeira do Sul:

- Crianças de seis meses a 1 ano 11 meses e 29 dias: 1484

- Criança de 2 anos a 4 anos 11 meses e 29 dias: 2905

- Criança de 5 anos 11 meses e 29 dias: 1028

- Trabalhadores de saúde: 2868

- Gestantes: 742

- Puérperas (até 45 dias depois do parto): 122

- Indígenas: 93

- Idosos: 14.246

- Professores rede pública e privada: 824

- Pessoas com comorbidades: 13.015

Total geral: 37.327

 

Observações

* Para as pessoas portadoras de doenças crônicas e outras categorias de risco clínico, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional, será avaliado o número de doses aplicadas no período da campanha.

* Professores e trabalhadores de saúde devem apresentar documento que identifique a profissão.

* Portadores de comorbidades devem apresentar a prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina, que deverá ser apresentada no ato da vacina.

 

Foto: Divulgação

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

1/2
Please reload